Notícia

CEC Aléscio Gonçalves dos Santos é modelo de educação complementar de qualidade

Vereadores Rafael de Angeli e Roger Mendes verificam demandas da instituição escolar

Cerca de 530 estudantes de idades entre 5 a 16 anos (frequentando do 1º ao 9º ano escolar) dos bairros Valle Verde, São Rafael, Indaiá, Parque São Paulo e Jardim Selmi Dei participam cotidianamente de atividades culturais, esportivas e de lazer oferecidas pelo Centro de Educação Complementar (CEC) “Aléscio Gonçalves dos Santos”.


A fim de conhecer melhor as atividades e as necessidades de alunos e educadores da instituição, os vereadores Rafael de Angeli (PSDB) e Roger Mendes (PP) foram recebidos pela diretora Ana Paula Franzini Peres na tarde da última quarta-feira (03).

No CEC, as crianças e os adolescentes têm à disposição uma Sala Verde, com biblioteca e computadores; uma sala de pesquisa ambiental com posto de coleta de pilhas e baterias; um pomar com verduras e frutas plantadas por eles mesmos; sala de informática; oficina de música; uma sala de relações, com brinquedos, fantasias, filmes, jogos de montar e vários materiais para estimular o imaginário; além de uma oficina de prática e organização cotidiana, onde as crianças aprendem bordado, culinária, confecção de máscaras e outras atividades que trabalham a sua manualidade.


Os alunos das 26 turmas distribuídas nos períodos matutino e vespertino também participam de atividades externas, como visitas a parques de diversões, práticas esportivas no Pinheirinho todas as sextas-feiras, um recente piquenique na Ferroviária, passeios pela cidade e até mesmo viagens. Nos últimos anos, os estudantes do CEC já conheceram Peruíbe (SP) e Ubatuba (SP), com uma esticadinha a Paraty (RJ) e visita a uma comunidade quilombola. “Essas atividades ampliam o capital cultural das crianças. Quando elas têm a oportunidade de ver uma realidade diferente, podem almejar algo melhor. É um estímulo para buscar uma vida melhor”, explica Ana Paula.

Embora, de um modo geral, a escola esteja em boas condições de manutenção e funcionamento, a diretora aponta algumas melhorias que poderiam ser realizadas. “A mais premente, que já é uma reivindicação antiga, é a construção de uma quadra coberta”, conta.


Os vereadores comprometeram-se a intermediar o debate junto à Prefeitura, a fim de estudar possibilidades de parcerias para a construção da quadra. “Entendemos a complexidade de se viabilizar, de fato, a construção de uma quadra coberta, mas faremos o possível para buscar ideias e alternativas”, aponta Roger.


O colega Rafael concorda, destacando a qualidade do ensino oferecido. “Eu gostaria que todas as escolas e todos os centros que trabalham com crianças fossem iguais a este. O que vi me parece de primeiro mundo. Sei que não é a nossa realidade, mas temos de buscar todo o auxílio possível e tentar levar esse modelo a outras instituições educacionais da nossa cidade”, observa.


Já para Mendes, “quando a criança tem a oportunidade de participar, também no período oposto ao da escola regular, de atividades educacionais, ela recebe um complemento importante para a construção da sua cidadania”.

   2020 © Rafael de Angeli. Todos os direitos reservados.

  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter