Notícia

Bancada do PSDB questiona ineficiência no tratamento de esgoto

Desde 2017, a bancada do PSDB, composta pelos vereadores Delegado Elton Negrini, Jéferson Yashuda, José Carlos Porsani e Rafael de Angeli, cobram do Executivo, via requerimentos, providências referentes à taxa de esgoto. Em março deste ano, os parlamentares voltaram a cobrar respostas da Prefeitura.

O Departamento Autônomo de Água e Esgotos (Daae) está realizando obras, como dragagem e remoção de 60.000 m³ de lodo das lagoas de sedimentação I e II, da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) de Araraquara, com desaguamento utilizando a tecnologia de geobag’s, com a intenção de chegar ao índice de 80% de eficiência no tratamento de esgoto. No documento, os vereadores questionavam a eficiência do tratamento de esgoto e pediam que a taxa de esgoto fosse suspensa até que as obras tivessem sido finalizadas. A demanda é uma prioridade da bancada, que vem trabalhando acerca da ETE, questionando os esforços para que esta opere na eficiência desejada, que é de 80%. Em resposta ao requerimento, o Daae informou que nos últimos dez anos, em nenhum momento a eficiência atingiu o limite de 80% estabelecido pelo Decreto Estadual nº 8.468/1997. A autarquia informou também que a tarifa de esgoto cobrada da população contempla os custos e investimentos para operação, manutenção e ampliação da ETE Araraquara, além dos sistemas de coleta e transporte. Ainda detalharam que o governo atual já investiu o valor de R$ 4,5 milhões na Estação e pormenorizou todos os serviços realizados nesse sentido desde 2017. A bancada está avaliando o documento e quais providências serão tomadas. “Não concordamos que a população pague a taxa referente ao serviço, sem o mesmo ser entregue nos limites previstos por lei. É basicamente comprar gato por lebre”, destacou Angeli, líder do partido na Câmara.

   2020 © Rafael de Angeli. Todos os direitos reservados.

  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter