Notícia

Prefeitura é solicitada a apresentar laudos sobre galerias da Via Expressa

Vereador Rafael de Angeli pediu cópia de estudos para realização de serviços no local.


Em dias de fortes chuvas, condutores têm medo de transitar pela Via Expressa, principalmente no trecho entre o Terminal Central de Integração e o Terminal Rodoviário, por causa dos riscos de alagamentos. Preocupado com essa problemática e também com possíveis riscos de desabamentos, o primeiro secretário da Mesa Diretora da Câmara Municipal, vereador Rafael de Angeli (PSDB), enviou o Requerimento nº 112/2022 à Prefeitura, cobrando informações sobre a situação subterrânea da Avenida Maria Antonia Camargo de Oliveira, a Via Expressa, uma das principais vias de Araraquara.


"De acordo com matéria divulgada pela imprensa, o secretário de Obras e Serviços Públicos disse que a Prefeitura contratou, no final de 2020, uma empresa de São Carlos, para fazer o diagnóstico detalhado da real situação subterrânea da Via Expressa. A previsão para início dos trabalhos era após o período de chuvas", destacou o parlamentar.

A fim de fiscalizar a prestação dos serviços, Angeli solicitou a cópia do contrato firmado entre a Prefeitura Municipal de Araraquara e a referida empresa de engenharia, contendo informações sobre o que já foi realizado e os valores pagos. Especificamente, o vereador questionou se já foi feito o estudo técnico com a finalidade de saber a real situação subterrânea e as intervenções necessárias, além de requerer cópia dos estudos técnicos concluídos até o momento.


"O secretário informou que mesmo descartando o risco iminente de rompimento de parte da tubulação, a Prefeitura definiu medidas preventivas junto à Defesa Civil, interditando o trecho da Avenida Feijó até o balão da Avenida Sete de Setembro, pelo grande volume de água que pode ocasionar problemas. Assim, fica evidenciada a periculosidade da situação, a qual precisamos entender a fundo para cobrar e acompanhar as providências", explicou Angeli.

Visita às galerias


Na Sessão Ordinária da terça-feira (1), Angeli apresentou, durante a explicação do Pequeno Expediente, um vídeo de quando esteve nas galerias pluviais da Via Expressa, acompanhado pelo diretor Regional de Saúde e ex-vereador Jéferson Yashuda, onde constatou in loco o alto desgaste nas estruturas, armações de ferro deterioradas ou inexistentes em diversos pontos e diferenças de tamanho das galerias, o que estrangula o volume de água que precisa passar com rapidez durante tempestades.

Cobrança por soluções


Desde 2017, em seu primeiro ano do primeiro mandato, o vereador Rafael de Angeli tem alertado e cobrado laudos e soluções plausíveis para o problema, por meio de requerimentos (285/2017, 363/2018, 100/2020, 370/2020 e 457/2021), indicações (563/2017 e 3.788/2017), discursos na Tribuna da Câmara e vídeos nas redes sociais.

"Tentamos 'abrir os olhos' da Prefeitura para o perigo da Via Expressa há anos. Quando munícipes nos indicaram a periculosidade das erosões visíveis próximo à rodoviária, fomos mais a fundo no assunto e descobrimos que o problema é bem maior. Desde então, estamos no pé da Prefeitura para que realmente deem a devida atenção ao caso e apliquem soluções, seja com laudos ou obras", explica e finaliza.



23/2/22