Notícia

Secretaria de Assistência Social responde sobre acessibilidade de número de atendimento

Esclarecimentos são dados em resposta a requerimento do vereador Rafael de Angeli.


No início do mês de dezembro, o primeiro secretário da Mesa Diretora do Legislativo, vereador Rafael de Angeli (PSDB), enviou à Prefeitura o Requerimento nº 1.147/2021, apontando a inacessibilidade do telefone da Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social.


O parlamentar havia destacado a importância do acesso à Secretaria para a população e os órgãos anexos e solicitou respostas sobre o funcionamento do número de atendimento. Pediu também que servidores ficassem a` disposição dos órgãos para resolução de questões e demandas internas.


Em resposta, a Secretaria mencionada informou que o horário de atendimento do órgão gestor é das 8h45 às 16h15, de segunda a sexta-feira, presencialmente e por meio do seguinte telefone: (16) 3301-1800.


Alegou também que quatro servidores estão designados para a função de recepção e atendimento das ligações e que, mesmo nos momentos de atendimento, o número disponibilizado pela Secretaria não se encontra ocupado quando o usuário realiza uma ligação.


A Secretaria pontuou que a elevada demanda de atualização do Cadastro Único para Programas Sociais e o lançamento do Auxílio Brasil acarretam uma sobrecarga de trabalho dos servidores responsáveis.


Por fim, informou que será realizada uma consulta na Secretaria Municipal de Justiça, Modernização e Relações Institucionais a respeito da possibilidade de disponibilização de um número adicional de telefone para o órgão gestor da Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social para suprir essa demanda verificada.


"Muitas pessoas procuram o nosso gabinete precisando de ajuda e dizendo que não conseguem o atendimento necessário na Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social. Precisamos que este e todos os outros serviços da Prefeitura estejam em completa operação para a nossa população, principalmente nas complicadas e delicadas questões de vulnerabilidade social", explica e finaliza Angeli.



14/1/22