Notícia

Após denúncia de marmitas estragadas, Fungota diz fiscalizar alimentação de funcionários

Vereador Rafael de Angeli cobrou explicações da Prefeitura após receber denúncias de usuários das UPAs.

Imagem: Reprodução/Jornal O Imparcial

Diante de denúncias de usuários das Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), que teriam presenciado funcionários reclamando da alimentação fornecida pelo Município, o vereador e primeiro secretário da Câmara Municipal de Araraquara, Rafael de Angeli (PSDB), protocolou, no dia 28 de junho, o Requerimento nº 593/2021, em que solicita explicações da Prefeitura. No dia 30 de julho, a Fungota, responsável pela gestão da Maternidade Gota de Leite e das UPAs, encaminhou resposta, afirmando que a instituição realiza inspeção prévia dos alimentos no momento da entrega e que, nas raras vezes em que houve problema, a refeição foi substituída por outra.


De acordo com Angeli, houve reclamação de marmitas estragadas, forçando os servidores a solicitarem alimentação em restaurantes da cidade e pagar por conta própria. Sobre isso, a diretora executiva substituta da Fungota, Joice Nogueira Calera, afirma que "em momento algum, houve ausência de alimento ao funcionário, haja vista que a reposição fora realizada tão logo feita a comunicação de sua necessidade à empresa fornecedora dos mesmos. Contudo, também é conveniente assinalar que, em alguns momentos, tivemos notícia de que a refeição entregue não encontrava-se própria para o consumo, mas, através da verificação das mesmas, percebeu-se que tal adjetivação não condizia com a realidade", justifica.


Angeli também pediu o levantamento dos cargos das pessoas que se valem dessa alimentação. Segundo a Fungota, as refeições são diariamente distribuídas e entregues a cada um dos servidores públicos municipais e empregados públicos fundacionais que trabalham em escala de plantão de 12 horas, nas UPAs Central, da Vila Xavier e do Vale Verde, abarcando médicos, enfermeiros, auxiliares e técnicos de enfermagem.


A Prefeitura também disponibilizou o Manual de Boas Práticas, adotado pela empresa vencedora do processo de licitação, responsável pela alimentação nutricional e hospitalar, assim como cópia do contrato, conforme solicitado pelo vereador. O acordo, firmado em julho de 2018, previa o fornecimento de alimentação balanceada e em condições higiênico-sanitárias adequadas para acompanhantes, funcionários e residentes da Maternidade Gota de Leite e das UPAs Central, Vale Verde e Vila Xavier, pelo valor de R$ 1.845.895,68.


O vereador quer continuar acompanhando o caso:


"Continuaremos acompanhando a denúncia, para que realmente seja realizado o procedimento correto e de qualidade do alimento que é oferecido aos profissionais da saúde, que são tão essenciais como jamais foram nesse momento delicado da pandemia que estamos passando", finaliza Angeli.


11/8/2021