Notícia

Moção de Apoio aos coletores de lixo é aprovada na Câmara

Documento sugere dar voz aos trabalhadores, que desaprovam modelo proposto.


Na manhã da terça-feira (15), o Departamento Autônomo de Água e Esgotos (Daae) oficiou a Câmara Municipal de Araraquara sobre a notificação extrajudicial da empresa Urban Serviços e Transportes, contratada responsável pela coleta de resíduos domiciliares, para que volte a operar com caminhões sem plataforma operacional ergonômica (estribos) pelos coletores.


Logo em seguida, um grupo de coletores solicitou uma reunião na Câmara Municipal, para tratar do assunto. Os trabalhadores foram recebidos por um grupo de vereadores, quando afirmaram que os modelos experimentados não surtiram bons resultados no desempenho do trabalho, demandando mais tempo, maior esforço dos funcionários e menor quantidade recolhida.


Araraquara produz diariamente 200 toneladas de lixo domiciliar e para a captação, de acordo com os profissionais que atuam diretamente na coleta, a retirada exige celeridade e, principalmente, praticidade no manuseio, o que não acontece sem o estribo. "Todos os vereadores, que são os legítimos representantes da população, estão recebendo reclamações de moradores que temem o acúmulo de 200 toneladas de lixo nas ruas por dia. Os coletores têm um demonstrativo de que 97% dos munícipes aprovam o formato de coleta em vigor em Araraquara e disseram que nunca foram ouvidos no decorrer de toda a tramitação do processo", ressaltou o vereador Aluisio Boi, presidente da Câmara.


Durante a 51ª Sessão Ordinária realizada na tarde de terça-feira, os trabalhadores tiveram espaço aberto pela Câmara Municipal, com participação na Tribuna Popular e colocaram o posicionamento da categoria, que quer ser ouvida e desaprova na íntegra os modelos sugeridos, preferindo, com a manutenção da determinação legal, deixar o emprego.


"Os coletores anunciaram a paralisação do recolhimento do lixo e algumas localidades já não foram atendidas no dia de hoje, por pura falta de condições, o que pode gerar uma verdadeira calamidade pública, com lixo nas ruas em pleno período de pandemia de Covid-19, agravada pela variante ômicron", salientou o parlamentar.


O vereador Rafael de Angeli se posicionou também sobre a pauta:

"Fica muito claro, em toda essa discussão, que precisamos ouvir quem está na linha de frente na coleta de resíduos de Araraquara. Não adianta decisões serem tomadas sem ouvir quem é diretamente afetado. Estamos do lado dos coletores e eles podem contar sempre com o nosso mandato", finaliza o vereador.

Toda essa movimentação gerou a aprovação de uma Moção de Apoio ao movimento iniciado pelos coletores de resíduos domiciliares de Araraquara, que buscam solucionar o impasse no sistema de recolhimento do lixo. O Requerimento nº 168/2022 ainda sugere que o Poder Executivo, o Departamento Autônomo de Água e Esgotos, o Poder Legislativo e o Ministério Público do Trabalho deem voz aos trabalhadores em reunião a ser marcada de forma emergencial, para que a cidade não sinta os prejuízos de uma longa paralisação na coleta.



16/2/22