top of page

Notícia

Inaugurado oficialmente há um ano, antigo pronto-socorro do Melhado tem 11 leitos desativados

Vereador Rafael de Angeli esteve na Unidade de Retaguarda do Melhado e pediu informações da Prefeitura sobre a não utilização de uma terceira ala disponível.


Em 2012, o Pronto-Socorro do Melhado foi fechado e sua reabertura foi obra prioritária eleita durante a Plenária Temática da Cidade, no Orçamento Participativo (OP), em 2017.


O local possui cerca de 2,4 mil m² de área construída e os investimentos na obra foram de R$ 8 milhões. Atualmente, a agora Unidade de Retaguarda às Urgências e Diagnóstico "Doutor José Roberto Poletti" disponibiliza 20 leitos hospitalares, sendo sete deles na ala A e 13 na ala B, com estrutura de diagnóstico, disponibilizando exames laboratoriais, ultrassom, tomografia, raio X, endoscopia e colonoscopia.


A unidade tem o objetivo de aliviar a ocupação de leitos da Santa Casa. Nesse sentido, os casos de baixa complexidade são encaminhados das Unidades de Pronto Atendimentos (UPAs) para a Unidade de Retaguarda do Melhado, em vez de ocuparem leitos no hospital.


Em novembro de 2020, a unidade do Melhado funcionou como suporte no atendimento a pacientes com Covid-19 e, em setembro de 2021, a secretária municipal da Saúde, Eliana Honain, informou que a Prefeitura iria ampliar a unidade para a criação de um centro cirúrgico e para a extensão da pediatria da Santa Casa, com o intuito de aumentar leitos de alta complexidade do hospital. Em maio de 2022, foi inaugurada, oficialmente, a Unidade de Retaguarda do Melhado.


Recentemente, em visita de fiscalização à unidade, o vereador Rafael de Angeli verificou a existência de uma terceira ala (C), com 11 leitos desativados. Por isso, buscando mais informações sobre a Unidade de Retaguarda do Melhado, o parlamentar encaminhou um requerimento à Prefeitura.


"A falta de leitos no Sistema Único de Saúde (SUS) é um dos grandes problemas da saúde pública, com pacientes aguardando por horas a abertura de um leito de internação nas UPAs", destaca Angeli no documento, no qual pergunta quantos pacientes já foram atendidos desde a inauguração da unidade, se os exames de diagnóstico, laboratoriais, ultrassom, tomografia, raio-X, endoscopia e colonoscopia são realizados só em pacientes que estão internados na unidade, e por qual motivo os 11 leitos desativados da ala C não estão sendo utilizados.


O vereador também quer saber se a criação de um centro cirúrgico e a instalação da unidade de pediatria da Santa Casa irão acontecer no local e se existe algum projeto em andamento, além de quantos aparelhos para realização de exames a unidade possui, com a especificação da função de cada um.


"É imprescindível que a Prefeitura preste as devidas informações sobre a não utilização dos leitos da ala C da Unidade de Retaguarda do Melhado, pois eles podem ser uma importante contribuição para a solução da falta de vagas no SUS, como na Santa Casa, por exemplo, um dos grandes problemas da saúde pública de Araraquara. É necessário transparência e agilidade na solução dessa questão para literalmente salvarmos vidas", afirma e conclui Angeli.


10/5/2023


Comments


bottom of page