Notícia

Mesmo com efetivo próprio, Prefeitura licita segurança armada terceirizada

Razões para abertura de licitação foram questionadas pelo vereador Rafael de Angeli.


A Guarda Municipal conta, atualmente, com efetivo próprio de 97 servidores que atuam na segurança patrimonial dos próprios públicos municipais. Mesmo assim, a Prefeitura abriu licitação para contratação de segurança armada terceirizada ao custo anual de quase R$ 4,3 milhões.


Diante disso, o primeiro secretário da Mesa Diretora da Câmara de Araraquara, vereador Rafael de Angeli (PSDB), protocolou o Requerimento nº 550/2022 à Prefeitura, no qual reitera o questionamento feito em documentos anteriores sobre os motivos que levam o governo municipal a não investir em concurso público para completar o quadro de pessoal, preferindo a contratação de empresa terceirizada.


No documento, o parlamentar questiona qual o custo do procedimento necessário para completar o quadro de pessoal efetivo de guardas civis municipais em relação ao valor estimado para contratação de empresa especializada em segurança patrimonial. Por fim, Angeli também pergunta se está em andamento processo de abertura de concurso público para completar o quadro de pessoal efetivo dos guardas civis municipais.


O vereador tem preocupação quanto ao dinheiro que poderia ser economizado.


"Queremos entender os motivos reais da contratação desse serviço, já que o Município tem disponível corpo qualificado e, possivelmente, com melhor custo benefício para ser utilizado", explica e finaliza o parlamentar.

A Prefeitura tem o prazo inicial de 15 dias para responder aos questionamentos, prorrogável por até 55 dias.



11/7/22