Notícia

Para modernizar frota do transporte de pacientes, Prefeitura cogita terceirizar veículos


Durante reunião da Comissão Permanente de Saúde, Educação e Desenvolvimento Social da Câmara de Araraquara — formada pelos vereadores Gerson da Farmácia (PMDB), Paulo Landim (PT) e Zé Luiz (PPS) —, a secretária municipal da Saúde, Eliana Honain afirmou que cogita a possibilidade de terceirizar os veículos do transporte de pacientes, com vistas em ampliar o atendimento e oferecer maior qualidade.


Com uma demanda mensal para transportar uma média de mil pacientes ao mês — somente em agosto foram 1.176 pacientes transportados —, para unidades de Saúde no município e em outras dez cidades, Honain classificou a situação do transporte sanitário como “fora do ideal”, visto o “desgaste” diário para fechar a agenda para atender a demanda com os veículos disponíveis.


“Uma possibilidade de ampliação poderia ser a terceirização, pois inclusive tem a vantagem de trocar o veículo em caso de quebra ou algo do tipo. Particularmente sou contra terceirização, mas para isso [frota de veículos] penso que conseguimos ampliar o serviço com mais veículos e também oferecer mais qualidade no atendimento. Hoje não tem como ampliar com a estrutura que temos a disposição e precisamos estudar essa saída”, afirmou.


Outro ponto apontado para justificar as dificuldades que o município enfrenta para renovar a frota de veículos ou ampliar é a ausência de programas federais para cidades com o porte de Araraquara realizar o transporte de pacientes. De acordo com Honain, o Ministério da Saúde classifica Araraquara como município referência em determinadas áreas de especialidades.


"Pela lógica do Governo Federal e do Governo de São Paulo os recursos e programas para cidades com mais de 50 mil habitantes é restrito apenas para aquisição de ambulâncias. Houve a publicação de uma portaria autorizando compras de vans e veículos para transporte, mas ainda não foi criado um programa para essa aquisição, ou seja, ou o município banca, ou vai buscar através de emendas de deputados”, explicou. Funcionários já teriam feito uma pesquisa informal e estima-se que cada veículo para transporte de pacientes — leia-se van —, custa ao mês R$ 4 ou R$ 5 mil, enquanto que o mesmo veículo para compra está em torno de R$ 170 mil. A secretária da Saúde afirmou que por enquanto, trata-se de uma proposta que deverá ser objeto de estudo técnico. Além dos membros da Comissão Permanente da Casa, participaram do encontro com a secretária da Saúde, os vereadores Édio Lopes (PT), Rafael de Angeli (PSDB), Edson Hel (PPS), Lucas Grecco (PSB), José Carlos Porsani (PSDB) e Roger Mendes (PP).


O próximo encontro entre a equipe da secretaria da Saúde e parlamentares deve acontecer no fim do mês de setembro e tem como objetivo debater o funcionamento do sistema público de saúde, bem como seus desafios para um melhor atendimento da população.

   2020 © Rafael de Angeli. Todos os direitos reservados.

  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter