Notícia

Prefeitura explica sobre retomada do transporte coletivo

Vereador Rafael de Angeli fez questionamentos em relação à falta de ônibus em diversas linhas.

Imagem: Reprodução/ACidadeON

No dia 18 de agosto, o vereador Rafael de Angeli (PSDB) protocolou o Requerimento nº 770/2021, solicitando ao Executivo informações referentes à retomada do transporte coletivo urbano no município. Devido à pandemia de Covid-19, houve uma considerável redução do número de pessoas circulando pela cidade e, consequentemente, adequação e redução de horários das linhas de ônibus.


O parlamentar questionava quando seriam retomadas as 39 linhas existentes antes da pandemia e se os horários do transporte, inclusive o noturno, seriam recuperados em sua totalidade ou gradualmente. Angeli indagava ainda sobre a situação da linha do Parque Gramado e sobre as medidas tomadas para manter a segurança sanitária dos usuários dentro do transporte coletivo. Por fim, perguntava quais as fontes de dados que a Prefeitura utiliza para conduzir o planejamento de abertura ou encerramento de linhas de ônibus.


Em resposta, a ouvidora da Controladoria do Transporte de Araraquara (CTA), Cristiane Ferreira, explicou que a redução no número de linhas não equivale à falta de atendimento. "Foi efetuada a restruturação logística dos itinerários, onde algumas linhas denominadas diametrais, a exemplo Selmi Dei/Yolanda, se tornaram radiais, Selmi Dei/TCI e Yolanda/TCI e outras radiais (Indaiá/TCI) se tornaram diametrais (Indaiá/leda). Esta operacionalização é efetuada tomando como base a extensão da linha, a demanda transportada e o tempo de deslocamento, otimizando o sistema de transporte e sua logística. A estrutura operacional das 39 linhas como era antes da pandemia está sendo avaliada, visto que mesmo com a retomada das atividades, o número de passageiros com base em julho se manteve em 10 mil por dia, onde antes eram de 25 mil por dia. Aos finais de semana, esse número fica ainda menor; no sábado, foram transportados 4 mil por dia; antes eram 16 mil por dia; e aos domingos, 1 mil por dia e antes eram 6 mil por dia".


Em relação aos horários do transporte, Cristiane informou que os horários serão retomados gradualmente, como já vem sendo efetuado em algumas linhas, como Selmi Dei, Valle Verde, Indaiá, Parque São Paulo, De Santi, Cecap, Águas do Paiol, América, Maria Luiza, Campus e Universal.


Sobre a linha do Parque Gramado, a ouvidora afirma que a linha já passou por uma readequação, porém será reavaliada novamente.


Já sobre os horários noturnos, Cristiane diz que a reprogramação tem sido efetuada paulatinamente. "Estamos efetuando o acompanhamento diário de cada uma das linhas, inclusive os corujões, e identificando a grande demanda coletiva, bem como sua origem e destino, para assim adequarmos os atendimentos nas linhas com os horários necessários. Em média, as linhas regulares possuem horários de atendimento até 22h15 e os corujões com início às 22h50".


No que se refere à segurança sanitária dos usuários dentro do transporte coletivo, ela pontua que os procedimentos preventivos já tomados serão mantidos enquanto perdurar o estado de pandemia, seguindo as orientações dos órgãos de saúde e vigilância sanitária do estado e município.


Fontes de dados


Cristiane detalha que "a programação da oferta do transporte faz uso das seguintes informações: a demanda de passageiros transportados por linha através do SBA [Sistema de Bilhetagem Automática]; a faixa horária e sentido de operação através do Sistema de GPS; o sobe e desce de passageiros no Terminal Central de Integração através do monitoramento de 32 câmeras; o intervalo médio entre partidas; e as condições de capacidade dos veículos".


Ela explica que, em alguns casos, são realizadas pesquisas operacionais para validar a precisão das informações geradas e o monitoramento da operação, levando em consideração as manifestações dos usuários através dos meios de comunicação do sistema de transporte:


Para Angeli, é necessário planejamento e atenção a todos os dados:


"É de extrema importância a Controladoria do Transporte estar sempre atenta às informações para que todos possam desfrutar, sem encontrar problemas, do transporte urbano do município, o que, infelizmente, não está acontecendo. Diariamente recebemos reclamações da população, já cansada de um dia de trabalho, ter que esperar horas por um transporte, o que não acontecia antes da pandemia", explica e finaliza.


15/10/2021