Notícia

Prefeitura responde sobre problemas com atendimentos de saúde no Águas do Paiol

Vereador Rafael de Angeli questionou situação e foi informado que novos moradores devem procurar unidade de origem.


Em agosto, o vereador Rafael de Angeli (PSDB) enviou o Requerimento nº 800/2021 à Prefeitura, questionando onde serão realizados os atendimentos dos novos moradores de empreendimentos residenciais no bairro Jardim Águas do Paiol que utilizam o Sistema Único de Saúde (SUS), pois, de acordo com o parlamentar, consultas foram negadas a residentes de alguns apartamentos próximos à unidade de saúde.


Em resposta, o Executivo explicou que, em relação aos residenciais lpê Amarelo, lpê Rosa e Reserva dos Jacarandás, a população residente nesses locais tem como referência a Unidade de Saúde da Família (USF) Jardim Paraíso, a qual trabalha atualmente com a capacidade acima do limite (4.225 usuários). Por isso, as famílias que se mudam para esses residenciais permanecem sendo atendidas pela unidade de origem até que seja inaugurada a unidade do São Bento, ainda inutilizada, e haja a construção de novas unidades que possam absorver a demanda da região.


A Prefeitura informou também que a população da região mencionada é contemplada no Programa Territórios em Redes, o qual realiza o cadastramento de famílias vulneráveis, com a finalidade de realizar ações intersetoriais de proteção social, contando também com as demais redes de apoio do município.


De acordo com o documento, por meio do programa, foi possível recadastrar 566 famílias do bairro, o que corresponde a 1.518 munícipes. As enfermeiras que atuam no programa já possuem relatórios sobre a situação demográfica, epidemiológica e territorial dessas famílias, que atualmente são atendidas pela USF do Vale do Sol.


Apesar de justificar que enfrenta dificuldades para a abertura de novas unidades na região por conta da crise causada pela pandemia de Covid-19, a Prefeitura afirmou que está tomando medidas para atender os mais vulneráveis, como a contratação de novos servidores da saúde e autorização de horas extras. "Acreditamos que, com a realização do cadastro das famílias, as quais estão sendo visitadas uma a uma, para obtenção de informações sobre as condições de saúde, moradia, escolaridade e emprego (Formulário e-SUS), teremos um diagnóstico do perfil, tanto do ponto de vista epidemiológico quanto social dos moradores e a Secretaria da Saúde terá mais condições de propor soluções para atender às reais demandas", explicou a coordenadora executiva de Atenção Básica, Talitha Paula Rezende Martins.


Para Angeli, a pasta da saúde é primordial:

"A população dos novos bairros tem nos cobrado sobre os serviços públicos nessas regiões. Unidades de saúde devem ser prioridades de implementação no planejamento da Prefeitura de expansão da cidade", cobra e finaliza o vereador.


7/10/2021