top of page

Notícia

Professores teriam sido orientados a deixar sala de aula para dar banho e trocar alunos

Vereador Rafael de Angeli pede esclarecimentos sobre instrução, que teria sido repassada a professores pela Secretaria de Educação.


O primeiro secretário da Mesa Diretora da Câmara Municipal de Araraquara, vereador Rafael de Angeli (PSDB), protocolou o Requerimento n° 249/2022, pedindo à Prefeitura informações a respeito das novas tarefas atribuídas aos professores dos Centros de Educação e Recreação (CERs) do município.


Segundo o parlamentar, os CERs do município sempre distinguiram os servidores responsáveis por ministrar as aulas e atividades educacionais, os professores, dos funcionários encarregados das atividades relacionadas à higiene das crianças, que são os agentes educacionais.


"Na mais recente reunião pedagógica, ocorrida nos dias 2 e 3 de março, os professores da educação infantil de todas as unidades foram surpreendidos com uma orientação verbal vinda da Secretaria de Educação de que, a partir daquela data, todo professor deveria deixar sua sala de aula para dar banho ou trocar o aluno no momento em que fosse necessário", afirmou Angeli.

O vereador alega que a estratégia é completamente incoerente, pois consiste em alocar um funcionário da unidade, agentes operacionais ou educacionais, para vigiar as salas enquanto os professores realizam as atividades mencionadas, e, nesse período, o conteúdo programado para a aula ficará interrompido, o que certamente compromete a qualidade do ensino e da aprendizagem.


O parlamentar afirma que, nos dias de vigência da ordem, alguns professores se recusaram a seguir a orientação de realizar as atividades de banho ou troca de alunos e, por conta disso, foram ameaçados com a abertura do Processo Administrativo Disciplinar (PAD).


"Por qual motivo os professores dos CERs estão sendo orientados a realizarem atividades que não fazem parte de suas atribuições legais?", questiona Angeli.

Outra indagação do vereador é o motivo pelo qual os agentes operacionais ou educacionais não podem contribuir, como sempre aconteceu, em emergências que levam à necessidade de dar banho ou trocar as crianças que estão em aulas com os professores.



8/4/22

Comments


bottom of page