Notícia

Cemitério São Bento continua com problemas de segurança

Vereador Rafael de Angeli cobra ações da Prefeitura no local que continua sendo alvo de furtos e vandalismos.


Em 2018, o vereador Rafael de Angeli (PSDB) apresentou o Requerimento nº 1.677, juntamente com o ex-vereador José Carlos Porsani, solicitando informações a respeito de furtos e depredações ocorridas no Cemitério Municipal São Bento. Na ocasião, os parlamentares questionaram quais providências e ações a Prefeitura estava tomando para sanar os danos e inibir as invasões frequentes no cemitério.

Em resposta, o Executivo informou que uma conta bancária específica estava sendo aberta, onde todos os valores arrecadados com serviços prestados seriam aplicados no gerenciamento dos cemitérios, principalmente na segurança, e que a construção de um novo muro e a colocação de concertina já estavam em planejamento.


No ano seguinte, o Requerimento nº 1.426 indagava sobre a conta bancária aberta, específica para a gestão dos cemitérios municipais, e os valores arrecadados. Na resposta, a administração municipal explicou que rondas diárias estavam sendo realizadas, principalmente no período noturno, pela Guarda Civil Municipal, e que não havia sido aberta a conta específica para o recebimento de arrecadações de serviços funerários, mas que o montante dos valores recebidos entre os dias 1 de janeiro e 30 de novembro de 2019, que estavam sendo depositados em uma conta de livre movimentação, era de R$ 918.113,13.


Porém, constatando que o cemitério ainda continua sendo alvo de furtos e vandalismos, o vereador apresentou um novo requerimento, pedindo uma série de informações à Prefeitura. O parlamentar questiona qual o valor orçado para a construção do novo muro para o Cemitério Municipal São Bento e para a instalação de concertina; o total arrecadado de serviços funerários no período de 1 de janeiro de 2020 até o momento; e por qual motivo não foi iniciada nenhuma melhoria na parte de segurança do cemitério, já que somente no ano de 2019 o valor recebido foi de R$ 918.113,13.


Angeli, em seu papel de agente fiscalizador, reverbera a voz da população:

"Recebemos questionamentos e cobranças da comunidade e precisamos que o Executivo resolva com rapidez e eficiência todos os problemas do local", cobra.


5/7/2021