Notícia

'Dinheiro público escoado para terceirizadas, em vez de valorizar os contratados'

É o que afirma Rafael de Angeli perante resposta da Prefeitura sobre contratação de novos guardas civis.


O primeiro secretário da Mesa Diretora do Legislativo, vereador Rafael de Angeli (PSDB), protocolou recentemente o Requerimento nº 550/2022, solicitando informações a respeito da contratação de segurança patrimonial armada para atuar nos próprios públicos municipais.


O parlamentar considerou, em documento, a "recente abertura de licitação na modalidade pregão eletrônico para contratação de empresa especializada em segurança patrimonial armada para atuar nos próprios públicos municipais e eventos públicos pelo período de 12 meses, com o valor total estimado de R$ 4.291.420,00".


Em resposta, a Secretaria Municipal de Cooperação dos Assuntos de Segurança Pública explicou que o cálculo para a contratação de novos guardas civis municipais e de segurança patrimonial privada leva em conta a demanda e demora do processo de formação de novos GCMs, que leva em torno de 12 meses.

Sobre a abertura de concurso público para completar o quadro efetivo da GCM, a Secretaria afirmou que o processo já está em andamento e que as inscrições se encerraram no dia 22 de junho.


Para Angeli, a conduta é inaceitável.


"A secretaria confessou que, por sua ineficiência na contratação de guardas, houve a necessidade de contrato com terceirizadas. Não podemos aceitar. Por isso nossos funcionários públicos são tão mal remunerados, o dinheiro se escoa para o pagamento de outras empresas ao invés de ser utilizado para a melhoria das carreiras já existentes na Prefeitura", finaliza.


14/7/22